Funcef vende participação no Royal Tulip Brasília Alvorada

No momento você está vendo Funcef vende participação no Royal Tulip Brasília Alvorada
Foto: Assessoria de Imprensa/Royal Tulip

A Funcef, fundo de pensão dos funcionários da Caixa, concluiu a venda de sua participação de 50% no hotel Royal Tulip Brasília Alvorada por R$ 57 milhões. O negócio faz parte do plano de reestruturação da carteira imobiliária da Fundação, que prevê a venda de 94 ativos até 2025, principalmente, terrenos, edifícios comerciais e hotéis.

“O Royal Tulip teve um papel importante dentro do nosso portfólio de imóveis, que hoje não corresponde ao perfil adequado à estratégia de investimentos da Fundação”, disse o presidente da FUNCEF , Gilson Santana.

A fundação já havia declarado no último mês que dois fatores foram fundamentais para a decisão unânime de venda da participação pela Diretoria Executiva: rentabilidade e oportunidades mais atrativas de investimentos. 

Os recursos serão aplicados em títulos públicos de longo prazo atrelados ao IPCA, as chamadas NTN-B longas. Esses títulos serão carregados até o vencimento nas carteiras do REG Replan, plano mais maduro da Fundação e marcados para o Novo Plano CD e REB CD, o que permitirá negociação diária e liquidez.

Sobre o empreendimento

Inaugurado em 2001 no Setor de Hotéis e Turismo Norte, às margens do Lago Paranoá, o Royal Tulip Brasília Alvorada dispõe de 395 apartamentos.

Ele é operado pela LA Hotels Empreendimentos 1 Ltda, empresa pertencente do Grupo Louvre Internacional, que administra mais de 1,5 mil empreendimentos hoteleiros em todo o mundo.

Desinvestimento imobiliário

Em 2021, a FUNCEF começou a executar um plano de investimentos e desinvestimentos imobiliários com prazo de quatro anos. Esse plano prevê a venda de 94 imóveis, que representam pouco mais de 50% da carteira desta classe de ativos, avaliada em R$ 5,6 bilhões ao final de 2021.

A reestruturação envolve, principalmente, portfólios de terrenos, edifícios comerciais e hotéis. O objetivo é concentrar os investimentos, hoje bastante pulverizados, em regiões com economia mais dinâmica e em imóveis com valores e expectativa de retorno maiores.

Com informações Ascom FUNCEF e Investidor Institucional

Deixe um comentário